938 846 151 info@imind.pt

Como sei se preciso de Ajuda Psicológica?

Alguns sinais de que poderá precisar ou beneficiar de ajuda psicológica ou psicoterapeutica:

  • Detecta padrões problemáticos nos seus relacionamentos ou comportamentos?
  • Quer perceber  sentimentos ou questões que o perturbam há bastante tempo?
  • Tem um problema cuja a  causa não lhe é clara?
  • Já fez psicoterapia ou medicação no passado, mas não se sentiu ajudado como precisava?
  • Está aberto a explorar os seus sentimentos, mesmo que uma parte de si queira evitar o que é angustiante?
  • Tem curiosidade sobre si mesmo? A curiosidade não é um requisito, mas pode ajudar o processo psicoterapêutico.
  • Está aberto a uma exploração interior sobre aquilo que o está a incomodar?
  • A ideia de procurar uma ajuda que pretende chegar à raiz das suas dificuldades é apelativa?
  • A procura de ajuda, que não é destinada unicamente a aliviar  sintomas, mas que também é focada no desenvolvimento de uma maior capacidade para lidar com as dificuldades é do seu interesse?
  • A ideia de desenvolver os seus recursos pessoais é apelativa?
  • Tem uma vivência de insatisfação ao nível das relações afectivas e da sexualidade?

Caso se identifique com alguns destes indicadores, então, a psicoterapia psicanalítica, pode ser uma boa opção para si.

É normal que me sinta ansioso com a ideia de iniciar uma psicoterapia ?

É normal que se sinta desconfortável, nervoso, ambivalente e até envergonhado, em começar uma psicoterapia. Muitas pessoas sentem uma ou mais destas emoções antes de começar.

Afinal, uma psicoterapia pode mudar fundamentalmente a maneira como se vê, como  lida com as situações e a forma como se relaciona com o mundo. Mesmo que queira mudar, essa ideia de pode ser assustadora.

Também pode sentir-se vulnerável com a perspectiva de ser julgado por alguém que não o conhece; a ideia de lhe falar sobre seus medos, desejos e pensamentos mais íntimos, pode ser uma perspectiva assustadora. Sugerimos que discuta qualquer medo sobre psicoterapia com seu psicoterapeuta. Muitas pessoas ficam surpreendidas ao descobrir que, falar sobre os seus sentimentos acerca da psicoterapia, com o seu psicoterapeuta,  é uma parte importante da sua experiência psicoterapêutica.

Quanto tempo vou estar em psicoterapia?

O tempo que vai estar em psicoterapia depende de si. O processo psicoterapêutico e a duração total do tratamento dependem da natureza dos problemas que quer resolver e dos objetivos que você e seu psicoterapeuta pretendem alcançar.

Pode preferir uma abordagem de curto prazo, focada em um objetivo específico, ou pode optar por uma abordagem de longo prazo para mudanças de vida mais profundas, mais amplas.

De um modo geral problemas mais recentes e localizados requerem menos tempo de tratamento. Problemas mais antigos e abrangentes requerem um período maior de tratamento.

É caro?

É um tratamento que envolve algum dispêndio de tempo e dinheiro. De um modo geral, as pessoas, que aderem a este tipo de abordagem, dão por bem empregue o seu dinheiro.

Existe entre nós a tradição de adequar os honorários às reais possibilidades das pessoas. Falar abertamente sobre a questão do dinheiro com o seu psicoterapeuta, é uma boa forma de compreender o seu próprio nível de motivação para uma psicoterapia.

Porquê uma Psicoterapia Psicanalítica?

logo2

Existem duas categorias principais de tratamento de saúde mental.

Tratamentos focados nos sintomas, sendo os exemplos mais comuns, as terapias comportamentais cognitivas e a medicação psiquiátrica, que, tem como objectivo, o alívio rápido da ansiedade. Estes  tratamentos, embora possam ser úteis para algumas pessoas, em determinadas situações, não resolvem os problemas de fundo. Frequentemente as pessoas sentem-se melhor, ainda que temporáriamente, mas o risco da repetição de padrões que causam os sintomas e sofrimento é comum.

Por sua vez a psicoterapia psicanalítica tem como objectivo, não só, aliviar os sintomas, mas abordar as raízes psicológicas das dificuldades emocionais. Pretende desenvolver os seus recursos psicológicos de modo a que possa viver uma vida mais satisfatória.

Saiba mais…

Situações em que a Psicoterapia não é a primeira linha de intervenção

Existem vários quadros clínicos em que a psicoterapia não é a primeira linha de intervenção e onde é necessário procurar primeiro um outro tipo de apoio.

Risco de Suicídio – Se tem ideias persistentes de colocar termo à vida, se já teve tentativas de suicídio anteriormente, recomendamos que procure ajuda junto de um serviço de saúde mental onde será observado por uma equipa multidisciplinar de médicos e psicólogos. Recomendamos que procure ajuda em qualquer Serviço de Urgência do S.N.S. O nº nacional de emergência 112 é também um recurso. A psicoterapia poderá vir a ser um dos recursos terapêuticos indicados após a avaliação inicial. Poderá também pedir ao seu médico de família que faça o encaminhamento para a consulta da especialidade. Para mais informação veja a página do S.N.S.

Dependências – Numa fase inicial deve ser dada atenção à dependência física de qualquer substância e ter em consideração outros problemas de saúde normalmente associados às dependências. Embora possa começar a ser seguido por um psicoterapeuta logo de inicio, de um modo geral são quadros clínicos que precisam de uma intervenção multidisciplinar. A melhor resposta para este tipo de situações encontra-se nos serviços públicos especializados. Para mais informação veja a página do SICAD, antigo IDT (Instituto da Droga e da Toxicodependência). 

Perturbações Psicóticas – Delirios, sentimentos de perseguição, sensação de estar a ser vigiado, ouvir vozes que mais ninguém ouve, estados de confusão mental, perda de sentido da realidade, são sinais e sintomas que precisam de ser apresentados a um Psiquiatra. Se tem razões para pensar que padece de algum destes sintomas deverá procurar ajuda junto do seu seu médico assistente que o encaminhará para a consulta de especialidade. Poderá também dirigir-se a qualquer serviço de urgência do S.N.S. Saiba mais no Portal da Saúde.  

Anorexia Nervosa e Bulimia – São dois quadros de perturbação mental que requerem também a intervenção multidisciplinar. Existem no Serviço Nacional de Saúde respostas terapêuticas de equipas muito experimentadas para as quais é possível marcar consulta através do seu médico de família. 

Que benefícios posso esperar deste tipo de psicoterapia?

Para além do alívio de sintomas como a depressão ou ansiedade, a psicoterapia psicanalítica foca-se no desenvolvimento das suas capacidades pessoais de modo a possa viver uma vida mais enriquecedora e livre. Procura-se uma mudança nas relações com os outros, consigo próprio, bem como, na capacidade em lidar com as dificuldades ou desafios da sua vida. Estas mudanças positivas têm também influência nas relações significativas e na capacidade de trabalho. Ou seja, a possibilidade de ter relações mais satisfatórias, de fazer uso eficaz das suas capacidades e de enfrentar os desafios com maior liberdade e flexibilidade.

Custom Search